terça-feira, 31 de março de 2009

Cigarro vai pesar no bolso dos fumantes



Nesta segunda-feira o governo lançou um pacote de medidas para encarar a tal crise global. Redução de impostos no setor de automóveis,motos e construção civil e aumento do imposto do cigarro.
Segundo o ministro Guido Mantega, com a redução dos impostos o governo teria uma renúncia fiscal de R$ 1,5 bilhão, mesmo valor que se deve obter com o aumento sobre o preço do cigarro.

Segundo ele, "para poder diminuir a receita, temos que providenciar uma nova fonte. Aumentando os tributos do cigarro, que é um setor que não prejudica a produtividade e o emprego, é uma troca bastante conveniente", disse.

"Estamos caminhando no sentido de desistimular o consumo do cigarro e, com os recursos, vamos pagar a conta das outras medidas", disse Mantega.

Um estudo, intitulado “Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo na população brasileira”, foi realizado por pesquisadores do Instituto Nacional de Câncer (Inca) e do Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
De acordo com a pesquisa, ao menos sete brasileiros morrem diariamente por doenças provocadas pela exposição passiva à fumaça do tabaco. A maioria das mortes ocorre entre mulheres (60,3%).

Não fumantes agradecem essa medida do Governo Federal,além de ser uma ótima oportunidade para os fumantes pensarem em largar esse vício, que só faz mal a saúde e aos cofres públicos.

Como diz meu ex-chefe, o órgão mais sensível do ser humano é o bolso.