segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Exercícios para memória


Adultos com problemas de memória que participaram de um programa de atividade física em casa experimentaram uma melhoria na função cognitiva em comparação com aqueles que continuaram sedentários. A conclusão é de um estudo publicado na edição desta quarta-feira (3/9) do Journal of the American Medical Association (Jama).


Nicola Lautenschlager, da Universidade de Melbourne, na Austrália, e colegas conduziram um experimento controlado para verificar se a intervenção da atividade física seria capaz de reduzir o declínio cognitivo e o risco de demência entre 138 adultos com mais de 50 anos.
Todos os participantes haviam relatado problemas de memória e foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos, um de cuidados comuns e outro que incluía um programa de 24 semanas de atividades físicas.

O objetivo da intervenção, segundo os pesquisadores, era encorajar os participantes a realizar pelo menos 150 minutos por semana de atividade física de intensidade moderada, divididos em três dias. A atividade mais freqüentemente recomendada foi caminhar.
O programa resultou em 142 minutos a mais de atividades físicas por semana quando comparado com o outro grupo. As funções cognitivas foram medidas por meio de uma escala usada em pacientes com Alzheimer, composta por uma série de testes, durante 18 meses.
Os cientistas verificaram que, ao fim do período, os participantes do grupo que se exercitou apresentaram maiores notas na escala, conhecida como Adas-Cog. Também apresentaram menores notas do que o outro grupo em um índice para medir demência.
“Pelo que sabemos, esse é o primeiro estudo a demonstrar que o exercício melhora a função cognitiva em adultos mais velhos com pequenas perdas cognitivas. Os benefícios da atividade física eram aparentes após seis meses e persistiram por pelos menos 12 meses após a intervenção ter terminado”, descreveram os autores.
“A média de melhoria 0,69 ponto na escala Adas-Cog em 18 meses, em comparação com o outro grupo, é pequena, mas importante potencialmente quando consideramos a quantidade relativamente modesta de atividade física a que os participantes se submeteram”, afirmaram.
Segundo eles, ao contrário de medicamentos, a atividade física tem a vantagem dos benefícios à saúde que não se restringem apenas à função cognitiva, mas em outros pontos como depressão, qualidade de vida, diminuição de quedas e função cardiovascular.




terça-feira, 23 de setembro de 2008

É difícil ser saudável?

Fábio Saba, autor do livro MEXA-SE: Atividade Física, Saúde e Bem Estar, responde esta pergunta em sua obra.Segundo ele, basta só querer uma boa dose de determinação para assumir para si mesmo em primeiro lugar e em seguida para os outros a opção de agir sempre com respeito ao seu bom funcionamento. Optar pelo que faz bem, em última instância. É como manusear um equipamento caro com delicadeza. É como não emprestar um disco raro a um desconhecido. É como limpar a casa. Ou, para ser mais claro, agir pela saúde é:

  • manter o corpo ativo, exercitando-se regularmente;
  • alimentar-se de acordo com o que o corpo precisa;
  • controlar o peso e a composição corporais, mantendo-o dentro dos limites adequados à sua estatura;
  • dormir bem (o suficiente e com qualidade);
  • não fumar;
  • não usar drogas psicotrópicas.

E tudo isso para sempre.Essas dicas não são suficientes para prevenir todas as doenças ou riscos de morte, mas, combinadas, compõem um estilo de vida que resulta num círculo virtuoso de bem-estar e longevidade. É uma excelente dica de leitura e um livro muito bacana com várias ilustrações.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Relação de proteína para massa muscular no idoso


Idosas têm mais dificuldade para transformar proteína em massa muscular


As mulheres acima dos 65 anos devem malhar mais e comer mais proteínas. Esse é o recado dos pesquisadores da Universidade de Nottingham, na Inglaterra. Os cientistas descobriram que as mulheres acima dessa idade apresentam maior fragilidade e estão mais sujeitas a quedas e suas complicações.

Todos nós, homens e mulheres após os 50 anos, se formos sedentários, perderemos massa muscular progressivamente. A diminuição dos músculos diminui a força para as tarefas cotidianas e proteção das articulações e dos ossos contra as quedas. Pela primeira vez os especialistas demonstraram que as mulheres, quando atingem os 60 anos, passam a ter mais dificuldade na transformação das proteínas recebidas na dieta em massa muscular.


Essa diferença se torna mais perigosa a partir do fato que habitualmente as mulheres já têm menos massa muscular no corpo. Essas características as deixam perto do limite de segurança com a perda natural e dificuldade de desenvolvimento dos músculos. Portanto as mulheres passam a ter mais uma razão para tomarem mais cuidado com a dieta e ingerirem mais proteínas.


E para transformar a proteína da dieta em músculos só existe uma receita: exercícios físicos de resistência, ou seja, musculação sob a supervisão de um profissional de educação física. Os benefícios vão além da manutenção de um corpo melhor. Os exercícios regulares atuam sobre o comportamento e sobre o padrão de socialização, fatores já conhecidos para a prevenção de quadros neurológicos, comuns nos idosos.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Dia do Profissional de Educação Física e a Lei de Incentivo ao Esporte


Na última segunda-feira, dia 1º de Setembro foi o Dia do Profissional de Educação Física. Em comemoração, o Conselho Regional de Desporto/RS, organizou no Grêmio Nautico União um Seminário sobre a Lei de Incentivo ao Esporte.

A Lei de Incentivo ao Esporte (11.438), sancionada em Dezembro de 2006, permite que patrocínios e doações para a realização de projetos desportivos e paradesportivos sejam descontados do Imposto de Renda devido por pessoas físicas e jurídicas.

De acordo com o Decreto, pessoas físicas podem descontar até 6% do Imposto de Renda devido, e pessoas jurídicas, até 1%. Segundo o Ministério do Esporte, só neste ano poderão ser captados quase 4 bilhões de reais (pessoas jurídicas, em torno de 400 milhões e físicas mais de 3 bilhões).

Uma boa notícia a nós profissionais, que lutamos diariamente pela valorização de nossa atividade. E o Esporte, parece que está cada vez mais, sensibizando a iniciativa pública e privada como meio de transformação social.

Parabéns a todos os Profissionais de Educação Física.

Grande abraço!

COB avalia a participação do Brasil em Pequim.

O esporte olímpico brasileiro manteve nos Jogos Olímpicos Pequim 2008 a evolução qualitativa que vem sendo alcançada nos últimos anos. Foram 3 medalhas inéditas de ouro, 4 de prata e 8 de bronze, somando um total de 15 medalhas, e a participação recorde em 38 finais, quase o dobro das 22 finais disputadas em Atlanta-96. Em Sidney o Brasil disputou 22 finais e em Atenas 2004 participou de 30 finais. No total de medalhas conquistadas, o Brasil terminou na 17ª. colocação geral. Na contagem pelas medalhas de ouro, o país ficou na 22ª posição.

"O crescimento esportivo de um país não deve ser medido apenas por medalhas. A presença de um maior número de atletas e de modalidades em finais olímpicas indicam a evolução qualitativa do esporte brasileiro nas últimas quatro edições dos Jogos Olímpicos. Sem dúvida, isso tem sido conseqüência direta da aplicação dos recursos da Lei Agnelo/Piva nos últimos anos pelo COB e pelas Confederações Brasileiras Olímpicas. Para Londres 2012 poderemos contar também com os recursos da Lei de Incentivos Fiscais ao Esporte, que, por sua abrangência, será uma importante fonte de recursos desde ao alto rendimento", afirmou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, em entrevista coletiva na Casa Brasil, em Pequim.

Agora é esperar e ver pra crer!!!

Saudações Olímpicas!

Cézar Cielo é Ouro

No mês de abril eu já alertava, aqui na coluna, que Cézar Cielo poderia nos proporcionar fortes emoções em Pequim.

O Nadador entra pra história, como o primeiro atleta brasileiro a conseguir uma medalha de ouro da Natação em Jogos Olímpicos.
Um grande fato para um brasileiro no Cubo D'água, onde o domínio foi de Michel Phelps, o maior atleta olímpico da Era Moderna.

Saudações Olímpicas!