terça-feira, 25 de novembro de 2008

Aprovado limite do valor para anuidade dos CREF´s


A Comissão de Finanças e Tributação aprovou na quarta-feira (19) o Projeto de Lei 279/07, do deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), que estabelece limites para o valor das anuidades cobradas pelo conselho federal e pelos conselhos regionais de educação física. Para pessoas físicas, o limite máximo será de R$ 380. Para pessoas jurídicas, de R$ 950.

Anualmente, esses valores poderão ser corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mas deverá ser respeitado o limite de um salário mínimo para pessoas físicas e de três salários para pessoas jurídicas.
O relator do projeto na comissão, deputado Carlito Merss (PT-SC), apresentou parecer pela aprovação.
O projeto, já aprovado na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, tramita em caráter conclusivo e segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Opinião


Não basta a quantidade de impostos que pagamos! Ainda temos que pagar para trabalhar. Se ainda houvesse uma fiscalização eficiente e que garantisse a atuação do Profissional de Educação Física.


Convite
Gostaria de convida-los para o lançamento do livro de poesias "Insensatez Calculada", do meu amigo e escritor Marcelo Gubert Zanoni. Dia 4 de Dezembro na Feira do Livro de Osório.
Parabéns Marcelo Poeta.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Dicas para uma vida longe das dores

Para fugir das dores:

:: Faça exercícios de alongamento.
:: Use um travesseiro fino ou durma sem travesseiro se preferir o decúbito dorsal. Se preferir dormir de lado, utilize travesseiro que preencha a distancia da cabeça ao ombro.
:: No trabalho, use uma cadeira ajustável e com apoio nas costas.
:: Faça intervalos de 15 minutos a cada 2 horas de trabalho, principalmente se permanecer muito tempo ao computador.
:: Alongue pescoço, ombros e região lombar a cada 2 horas.

Dicas para o dia-a-dia:

:: Em casa, evite realizar tarefas que apresentem o mesmo padrão de movimento daqueles feitos no trabalho;

:: Faça exercícios de alongamento antes e depois da sua atividade física preferida;

:: Para levantar cargas pesadas do chão, separe as pernas, dobre os joelhos, segure o objeto o mais perto possível do corpo e depois levante;

:: Divida o peso em ambos os lados do corpo, isto é, carregue um peso de cada lado do corpo;

:: Ao carregar sacolas e malas, os braços devem estar esticados e bem perto do corpo;

:: Não carregue peso na cabeça;

:: Quando caminhar, procure ficar ereto e olhando para a linha do horizonte;

:: Ande com a musculatura abdominal contraída;

:: Ao calçar sapatos, procure sentar ou ajoelhar;

:: Use sapatos com 1-2 cm de salto, mas não exagere, pois isso ocasiona dificuldades de posicionamento, dores lombares e inflamação;

:: Ao entrar e sair de veículos não torça as costas. Gire o quadril e as pernas para fora ao mesmo tempo;

:: Dedique um tempo durante a semana para a prática de exercícios físicos para não se tornar uma pessoa sedentária.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Profissional de Educação Física no SUS


Neste final de semana que passou, o Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) organizou o 1º Congresso Nacional do Sistema CONFEF/CREFs. Com transmissão ao vivo pela internet, pude acompanhar, entre muitas, a palestra "O Profissional de Educação Física na Área da Saúde e no SUS: possibilidades de inserção. Ministradas pela Drª Ana Estela Haddad e pelo Drº José Luiz Riani da Costa.

Entre os assuntos abordados, o mais importante foi a criação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família, iniciativa que vai ampliar o número de profissionais vinculados às equipes do Saúde da Família (SF). Os núcleos reunirão profissionais das mais variadas áreas de saúde, como médicos (ginecologistas, pediatras e psiquiatras), professores de Educação Física, nutricionistas, acupunturistas, homeopatas, farmacêuticos, assistentes sociais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos e terapeutas ocupacionais. Esses profissionais atuarão em parceria e em conjunto com as equipes do Saúde da Família.

Os profissionais de cada núcleo devem identificar, em conjunto com a as equipes do SF e a comunidade, as atividades, as ações e as práticas a serem adotadas com cada área coberta. Fazem parte da estratégia de atuação dos núcleos promover a saúde e a qualidade de vida, como estratégia de prevenção de doenças. Por essa razão, destaca-se a importância da atuação multiprofissional, com professores de Educação Física e Nutricionistas, entre outros.


Atenção Senhor e Senhora Gestora de Saúde!

Para implementar o Nasf, o município deve elaborar projeto, contemplando o território de atuação, as atividades que serão desenvolvidas, os profissionais e sua forma de contratação com especificação de carga horária, identificação das equipes do SF vinculadas ao Nasf, e a unidade de saúde que credenciará o Nasf. Esse projeto deverá ser aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde e pela Comissão Intergestores Bipartite de cada estado. O Nasf foi criado pela portaria ministerial nº 154, publicada no Diário Oficial da União em 25 de janeiro deste ano.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Estudo: horário de verão aumenta risco de enfarte


























Adiantar os relógios em uma hora por causa horário de verão aumenta o risco de enfartes, alerta um estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Karolinska da Suécia.


Segundo o estudo, publicado no New England Journal of Medicine, os casos de enfarte do miocárdio aumentam cerca de 5% na semana seguinte ao ajuste dos relógios - principalmente nos três primeiros dias.

"A hora de sono perdida e os conseqüentes distúrbios de sono que isto provoca são as explicações mais prováveis", disse Imre Janszky, um dos pesquisadores envolvidos no estudo.

Em entrevista à agência de notícias sueca TT, outro cientista ligado ao estudo chegou a sugerir o fim dos ajustes anuais dos relógios.

"Talvez seja melhor adotar o horário de verão durante todo o ano, em vez de ajustar os relógios duas vezes por ano. Este é um debate que está ocorrendo atualmente", disse o Dr. Rickard Ljung.

Com base no registro de enfartes na Suécia desde 1987, os cientistas do Instituto Karolinska chegaram às conclusões do estudo após examinar as variações na incidência de ataques cardíacos durante os períodos de ajuste dos relógios, no início e no fim do horário de verão.

Sono a mais
Os cientistas também observaram que o reajuste dos relógios no fim do horário de verão (que na Suécia ocorre sempre no último domingo do mês de outubro), que é sempre seguido por um dia de uma hora extra de sono, representa uma leve redução do risco de enfartes na segunda-feira seguinte.

A redução no índice de ataques cardíacos durante toda a semana que se inicia, no entanto, é significativamente menor do que o aumento registrado no início do horário de verão.

Estudos anteriores demonstram que a ocorrência de enfartes é mais comum às segundas-feiras. Segundo os cientistas do Instituto Karolinska, o ajuste dos relógios no horário de verão oferece outra explicação para este fato.

"Sempre se pensou que a causa da maior incidência de enfartes às segundas-feiras fosse principalmente o estresse relacionado ao início de uma nova semana de trabalho. Mas, talvez outro fator seja a alteração dos padrões de sono ocorrida durante o fim de semana", observou o Dr. Janszky.

Os cientistas explicam que os distúrbios do sono produzem efeitos negativos no organismo humano e alertam que níveis elevados de estresse podem desencadear um ataque cardíaco nas pessoas que se situam em grupos de risco.

"Pessoas mais propensas a sofrer um enfarte devem viver de maneira saudável, e isto inclui ciclos regulares de sono durante toda a semana", diz Rickard Ljung. "Como um cuidado extra, podem talvez também relaxar mais nas manhãs de segunda-feira", acrescentou ele.

Os cientistas suecos esperam que o estudo possa aumentar a compreensão sobre os impactos que as alterações dos ritmos diários do organismo podem ter sobre a saúde humana.

"Cerca de 1,5 bilhão de pessoas em todo o mundo são expostas todos os anos aos ajustes dos relógios, mas é difícil generalizar a ocorrência de enfartes do miocárdio que isto pode provocar", observou Ljung.

fonte: www.educacaofisica.com.br