quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Carta Capital: A velha cara da nova direita

*por @luciouberdan via Facebook

A Carta Capital dessa semana traz longa matéria sobre a direita brasileira.

A revista identifica os pensadores, as estrelas e o braço midiático e ideológico, até de certa forma, os financiadores da oposição. A chamada de capa é "a velha cara da nova direita", ou seja, aqueles que comandam os setores do poder reacionário. 

A mesma Casa Grande que comandou o pais na época de "ouro" das privatizações, onde trilhões de dívida e venda eram cifras do dia que só competiam em número com os milhõeCs de pobres e desempregados da senzala. Ambos números inexistentes nos dias de hoje, nem dívida, nem venda, nem pobres, nem desempregados. 

Isso incomoda a Casa Grande. A revista desmascara aqueles/as que vociferam todos os dias contra a corrupção política que existe no país, ao que parece a única corrupção, e, nascida na gestão Lula. A carta chama atenção para aqueles que lideram o anti-petismo, por sinal o único partido no Brasil que ganhou essa pecha, o anti. 

A Carta define bem o papel da ONG Millenium, e do tripé ideológico que comanda, formado pela Abril, o Estadão e o Grupo RBS. Pena que muitos ainda não acreditam, ou não entendem, eu como não sou cético (nesse caso) e ainda me balizo pela luta de classe, vou seguir a dica de um amigo e guardar essa edição. 

Tentar adivinhar o futuro sempre faz bem, ainda mais quando está em jogo coisas tão relevantes como o fim da pobreza, o fortalecimento da esfera pública e a consolidação da democracia. Abs