terça-feira, 2 de junho de 2009

Ganhos fisiológicos com a corrida


Descubra os benefícios da corrida e o que muda no corpo de quem pratica esta atividade.

Não é novidade para ninguém que a prática regular de exercícios físicos traz inúmeros benefícios à saúde e melhora a qualidade de vida. Com a corrida não é diferente, e cerca de 25 ganhos fisiológicos são gerados graças à realização frequente desta atividade.“Se a prática da corrida for regrada, traz grandes benefícios para a saúde e ajuda as pessoas a diminuírem o risco de doenças”, afirma o mestre em fisiologia do exercício Paulo Correia, que é fisiologista da Unifesp.
Os lucros
Entre os principais benefícios gerados com a corrida destacam-se o aumento do débito cardíaco máximo, diminuição da frenquencia cardíaca de repouso, melhora da circulação coronariana e o auxílio a prevenção do acidente vascular cerebral, da hipertensão arterial e da doença coronária.
Correr também favorece o aumento da massa muscular, fortalece os tendões, ligamentos e articulações, auxilia o combate à osteoporose e o controle do peso corporal, do colesterol, do estresse, da ansiedade e da depressão. Além disso, observa-se também o estímulo ao fim de hábitos nocivos, como o uso de álcool e cigarros.“Quem pratica a corrida com o intuito de ter uma vida mais saudável precisa fugir dos hábitos inadequados, como beber e fumar, e deve comer mais frutas e manter uma boa alimentação”, orienta Correia.
Quanto correr?
Para que haja ganhos, é preciso correr uma distância ou tempo suficiente para se estimular as adaptações fisiológicas, mas sem exagerar a ponto de ocasionar lesões. De acordo com o fisiologista Sérgio Oliveira, uma hora de exercícios diários seria o ideal para se alcançar os benefícios.“Trinta minutos é um tempo bom, mas o ideal é uma hora. Porém, quem é iniciante deve respeitar seus limites, intercalar a caminhada com a corrida e evoluir aos poucos”, diz Oliveira. “Alternar com exercícios de força e flexibilidade também é uma ótima opção para quem não pode correr todos os dias”, completa o fisiologista.
Já Paulo Correia alerta para a importância de também trabalhar com o controle dos batimentos cardíacos. “Quando uma pessoa corre dentro da faixa de 60% a 80% da frequência cardíaca máxima, ela obtém todos os benefícios para o corpo de forma segura e eficiente”, explica. “Um iniciante, apenas com a caminhada vai conseguir chegar a estes batimentos, mas, com o tempo ele precisará correr em um ritmo cada vez mais forte para alcançá-lo”, completa Correia, que afirma que o descanso também é um fator muito importante para se obter os benefícios fisiológicos da corrida.“Descanso é dormir, e não ficar sentado vendo televisão. Depois de um treino, a condição física piora, a imunidade diminui e os músculos sofrem pequenas lesões. Quando dormimos, ocorre a recuperação de todo o organismo”, afirma.


Por Cesar Candido dos Santos